7 dicas para alcançar o papel principal na área de Finanças

abril 5, 2018 9:22 pm Publicado por

Por Tamara Dzule, Gerente Sênior de Controladoria e VP das Comissões Técnicas do IBEF SP.

Será que a sorte é quando a preparação encontra a oportunidade? Como alcançar o papel principal dentro da área de Finanças?

Com base em minha experiência, além de contato próximo com diversos executivos de Finanças e em diversas leituras realizadas ao longo dos últimos anos, pude perceber que existe uma trajetória congruente de quem chegou lá.  E já adianto: não foi sorte! Todos trabalharam duro e hoje entregam resultados sólidos e consistentes. Muitos também souberam lidar com rejeições ao longo de suas carreiras, e aprenderam a ser resilientes.

Mas e você? O que pode fazer para melhorar a probabilidade de obter oportunidades, e estar no lugar certo e na hora certa? Compartilho, abaixo, alguns aprendizados que obtive:

Busque o aperfeiçoamento contínuo – Carreiras são compostas de níveis e etapas. Cada função desempenhada por você tem um propósito e um conjunto de requisitos para atender às necessidades da função de Finanças e do negócio. Seja a melhor versão de você todos os dias. Se o trabalho é fácil, difícil, complexo ou direto, nunca invista menos de 100% de energia nele e trabalhe para oferecer a melhor saída possível. Mas uma dica importante: seja feliz no que faz!

Trace metas para seu crescimento – Saiba agir como um estrategista. Saiba o que você quer alcançar e faça planos específicos para isso. Analise com frequência seus desempenhos para aprender e melhorar, sem ser reativo. Não fique na sua zona de conforto se quiser chegar ao topo, busque novas oportunidades. Escolher suas atividades com cuidado e fazer coisas para aprender as habilidades certas é fundamental. É claro que a maturidade é importante para isso acontecer, mas hoje existem diversos meios para ler sobre profissionais bem-sucedidos, entender quais requisitos eles exibem ou o que os torna um CFO ou diretor financeiro convincente.

Agregue habilidades de outras áreas – Aproveite as oportunidades para demonstrar a perspicácia comercial, especialmente se você deseja obter uma função de CFO algum dia. Isso significa envolver-se em projetos nos quais você nem sempre falará sobre o P & L ou o balanço. Pode ser uma implementação de sistemas, uma integração de aquisições, um desinvestimento de linhas de negócios, uma captação de recursos ou qualquer coisa assim. Eu passei por diversas experiencias deste tipo ao longo da minha carreira e posso dizer que foram essenciais para o meu crescimento. Além disso, seja curioso. Você só consegue entender o negócio em que está (e os negócios em geral), fazendo perguntas. E você faz as perguntas certas quando é naturalmente curioso.

Aprenda a gerir pessoas – Desenvolva também habilidades comportamentais, pois sem saber gerenciar pessoas, ninguém vai a lugar algum. Esse é um diferencial para qualquer profissional que queira assumir uma cadeira maior. Seu time sempre será seu maior ativo. Trate-o bem!

Aprenda a gerir dados – A análise de dados está se tornando cada vez mais importante no mundo dos negócios, à medida que as empresas crescem em tamanho e alcance. Assim, aprender os princípios e métodos de análise te ajudará a galgar uma boa posição. Desenvolva a capacidade de analisar negócios, processos, controles, requisitos de projetos e avaliar criticamente argumentos, estratégias e propostas – tudo faz parte de um modo de pensar analítico. E conheça os seus números para te dar toda a credibilidade necessária.

Entenda o funcionamento do negócio de forma ampla – Eu tive um gestor que me dizia: para ser um CFO, você precisa entender do negócio. Esse “item” é talvez o principal impulsionador do desempenho e da sua capacidade de saber o que fazer para controlar e gerenciar a performance. E você só consegue isso através da experiência, e essa experiência só se acumula à medida que você faz perguntas, lê, pesquisa, aprende e reflete.

Invista nas soft skills – E, por fim, dos itens mais importantes: saiba se comunicar! Qualquer executivo precisa ser capaz de explicar o desempenho do negócio para analistas, investidores, diretores, entre outros. Também são necessárias as habilidades de convencer seus pares na tomada de decisões estratégicas e fazer as perguntas certas. Isso significa trabalhar em ajustar o estilo de comunicação e o conteúdo para os diferentes públicos e ser capaz de traduzir conceitos financeiros em uma linguagem compreensível para todos.

Não busquem a perfeição, o objetivo sempre deve ser acertar mais do que errar. Esse é o meu lema.

 

As opiniões e conceitos emitidos no texto [acima] não refletem, necessariamente, o posicionamento do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF) a respeito do tema, sendo seu conteúdo de responsabilidade do autor.