Qual é a melhor empresa do Brasil?

fevereiro 27, 2012 11:54 am Publicado por

A revista Época NEGÓCIOS está lançando o anuário Época NEGÓCIOS 360º, o primeiro guia a fazer uma avaliação completa das maiores companhias do Brasil. A missão do anuário é classificar as empresas não apenas por seu desempenho financeiro, mas por todas as dimensões que sinalizam seu peso na sociedade e sua capacidade de se manter no topo: a qualidade da governança corporativa, o nível de responsabilidade socioambiental, as políticas de recursos humanos, a capacidade de inovação e a visão de futuro (a forma como a empresa planeja seu futuro).

Para construir esse mapa das principais empresas do país, Época NEGÓCIOS conta com a parceria técnica da Fundação Dom Cabral e com o apoio da Economática e da Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial). Teremos, ainda, o auxílio de um conselho de notáveis composto por

  • Ricardo Young, do Instituto Ethos;
  • Gilberto Mifano, do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa;
  • Keyler Carvalho Rocha, do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças;
  • Luiz Carlos Cabrera, da FGV;
  • Mozart Pereira, da Fundação Dom Cabral;
  • Carlos Henrique de Brito Cruz, da Fapesp;
  • Oscar Motomura, da Amana-Key.

Com base em questionários preenchidos pelas empresas, serão apontadas as campeãs em 30 setores da economia. Para este grupo, haverá uma pesquisa extra, com todos os públicos que se relacionam com a companhia (clientes, investidores, fornecedores, comunidade e cidadãos). A partir deste trabalho, a redação de Época NEGÓCIOS, analistas da Fundação Dom Cabral e o conselho de notáveis elegerão a empresa do ano.

COMO FUNCIONA

A seguir, o roteiro do anuário:

1. Os rankings de Época Negócios 360º terão por base uma lista das 2.000 maiores companhias no país por receita líquida, compilada pela redação de Época NEGÓCIOS. No caso dos bancos, serão considerados todos aqueles com cadastro no Banco Central e, no das seguradoras, aquelas registradas na Superintendência de Seguros Privados;

2. A esses potenciais integrantes dos rankings da publicação serão encaminhados convites de participação;

3. Empresas não incluídas na lista inicial que quiserem participar poderão fazer a sua pré-candidatura clicando aqui.

4. As companhias participantes serão avaliadas em seis dimensões: resultados financeiros, governança corporativa, capacidade de inovação, políticas de recursos humanos, responsabilidade socioambiental e visão de futuro (a habilidade de projetar e planejar o futuro);

5. Para a avaliação citada acima, as empresas preencherão uma ficha cadastral e questionários específicos relativos a cada uma das dimensões;

6. A Fundação Dom Cabral se encarregará de enviar os questionários, receber as respostas e processá-las;

7. Os questionários serão respondidos exclusivamente pela internet e por meio de senha enviada às empresas que aceitarem os convites feitos;

8. De posse da senha, as participantes acessarão um site criado especialmente para esse fim, pelo qual será possível preencher os questionários;

9. As empresas participantes se encarregarão de escolher uma única pessoa para servir de contato com a Fundação Dom Cabral durante a pesquisa. Essa pessoa coordenará o preenchimento e recebimento dos questionários para enviá-los, depois de respondidos e de uma só vez, à fundação;

10. A pessoa que servir de contato com a Fundação Dom Cabral receberá uma assinatura anual de uma revista da Editora Globo à sua escolha, uma vez entregues os questionários totalmente preenchidos;

11. Será organizado um ranking financeiro, à parte. No caso das empresas, o ranqueamento se dará por receita líquida; no dos bancos e no das seguradoras, pelo ativo total;

12. Os valores considerados para classificação no ranking financeiro serão aqueles dos balanços consolidados. Pedimos que eles sejam enviados por e-mail para o endereço 360balanco@edglobo.com.br. Quando não houver balanço consolidado – caso de empresas sem controladas ou daquelas com atividades diversificadas – serão utilizados os números individuais. No caso das companhias com dados consolidados, não será permitida a participação na pesquisa de outra empresa controlada;

13. Quando houver dúvidas sobre a procedência ou não da consolidação, ou mesmo sobre a inclusão de determinada empresa do ranking, a decisão final será de competência exclusiva de Época NEGÓCIOS e de sua parceira técnica, a Fundação Dom Cabral;

14. No caso de empresas com dados consolidados, os questionários de todas as seis dimensões que compõem o ranking devem ser respondidos pela controladora;

15. Com base nos dados consolidados – ou nos balanços individuais, quando for o caso – serão selecionadas as 500 maiores empresas no país, os 100 maiores bancos e as 50 maiores seguradoras. Esse ranking financeiro conterá, além de receita líquida, para empresas, e ativos totais, para bancos e seguradoras, várias informações sobre o desempenho econômico de cada integrante da lista;

16. O ranking financeiro ajudará a compor o ranking geral, que incluirá as notas das empresas nas outras cinco dimensões (governança corporativa, capacidade de inovação, políticas de recursos humanos, responsabilidade socioambiental e visão de futuro).

17. Para determinar as notas de cada dimensão, os questionários serão avaliados de acordo com o cálculo do desvio padrão dos pontos obtidos em cada resposta por empresas do mesmo setor. Esse método permite comparar de forma justa empresas de setores díspares;

18. O setor a que pertence a empresa será dado pela atividade principal, com predominância no total de receita, indicada por ela na ficha cadastral e, se for o caso, validada ou alterada, para efeito da pesquisa, pela equipe de Época NEGÓCIOS/Fundação Dom Cabral;

19. As companhias do ranking serão também reunidas em setores. Cada setor terá um subranking próprio e uma campeã, de acordo com a pontuação alcançada no total das seis dimensões;

20. Época NEGÓCIOS e Fundação Dom Cabral poderão, durante o processo, alterar, separar ou agrupar os setores inicialmente previstos;

21. As campeãs setoriais, antes de serem confirmadas como tal, passarão por dois crivos. O primeiro deles será uma consulta feita pela redação aos stakeholders – os públicos com os quais se relaciona, como investidores, clientes, funcionários, fornecedores, comunidades, e cidadãos (estes, representados por assinantes de Época NEGÓCIOS);

22. Com base na avaliação a partir de informações dos stakeholders, as companhias poderão receber uma pontuação extra;

23. O segundo crivo para referendar as campeãs setoriais será de um conselho de notáveis, composto por especialistas de cada uma das dimensões;

24. O conselho de notáveis e a redação de Época NEGÓCIOS se reunirão para escolher a campeã geral, a empresa do ano de Época NEGÓCIOS 360º;

25. A empresa do ano, as campeãs setoriais e as melhores em cada uma das seis dimensões da pesquisa – resultados financeiros, governança corporativa, capacidade de inovação, políticas de recursos humanos, responsabilidade socioambiental e visão de futuro – serão premiadas em uma cerimônia de lançamento do anuário Época NEGÓCIOS 360º, em data a ser definida.

Quero me inscrever.

Fonte: epocanegocios.globo.com