Gestão 2017-2019 do IBEF-SP apresenta realizações em coquetel de novos associados

O IBEF São Paulo colheu bons frutos em 2018. Apesar do cenário desafiador para o País, do ponto de vista político e econômico, o Instituto angariou 252 novos associados, realizou 64 eventos e pavimentou o caminho para novos produtos e serviços. As informações foram apresentadas no evento realizado em 26 de fevereiro, que uniu o tradicional coquetel de boas-vindas para os ibefianos recém-filiados ao report das ações realizadas no último ano.

O evento também foi embalado pelo clima de despedida do Corpo Diretivo que esteve à frente do Instituto no biênio compreendido entre 1º de março de 2017 a 28 de fevereiro deste ano. A partir do próximo mês, começa a gestão para o biênio 2019-2021, com os membros eleitos para os Conselhos de Administração e Fiscal, escolhidos em assembleia que aconteceu no último dia 14 de fevereiro.

Realizações e novidades – Marco Castro, presidente da atual Diretoria Executiva, destaca que o último biênio foi um período de investimentos em novas iniciativas. “Conseguimos modernizar algumas coisas que o IBEF-SP fazia tradicionalmente, e isso foi parte da missão dada pelo Conselho de Administração para esta Diretoria Executiva, que era atualizar determinadas iniciativas que tínhamos – prêmios, reuniões e encontros – e, ao mesmo tempo, trazer algumas coisas novas para a próxima gestão”.

Mesmo em um momento em que a atividade econômica do País estava mais lenta, acrescenta Castro, o Instituto criou as bases para projetos que guiarão a agenda de 2019, como o lançamento da Certificação CFO(BR), investimentos que proporcionaram maior visibilidade ao Prêmio Golden Tombstone e a estruturação do pilar de Advocacy. “O que eu tenho certeza que serão importantes para o IBEF-SP quando olhamos para o longo prazo. Isso ajuda a garantir a sustentabilidade do Instituto e é resultado de trabalho árduo do Corpo Diretivo”, afirma Castro ao comentar o legado que foi construído.

De forma bastante dinâmica, a apresentação de todas as atividades realizadas pelo IBEF São Paulo foi conduzida por diferentes membros da Diretoria. Além de Castro, participaram da explanação os vice-presidentes Mario Mafra, Tamara Dzule (Comissões Técnicas), Luciana Medeiros (Admissão e Frequência e IBEF Mulher), José Vinicius de Oliveira Alves (IBEF Jovem), Rogério Menezes (Advocacy) e George Cavalcante (IBEF Global).

Com relação aos votos para a próxima gestão, Marco Castro destaca que esta deverá ter muito sucesso. “Tudo leva a crer que o País estará muito mais qualificado e estruturado para poder crescer e se desenvolver. E o IBEF-SP se beneficia disso: quer seja porque tem executivos de qualidade localmente, executivos que estão vindo do exterior para o País, investimentos novos… Acho que será uma fase muito bacana”, prevê.

“A nova Diretoria que está sendo formada, com a liderança do Serafim de Abreu e de Luciana Medeiros, tenho certeza que fará um trabalho ainda melhor do que já fizemos!”, completa o presidente. Uma das novidades de 2019 é que o IBEF-SP, entidade que não possui fins lucrativos dá boas-vindas a duas novas empresas mantenedoras: a Talenses e a B3.

Novos associados conhecem IBEF São Paulo por rede social, empresas e recomendações de amigos e colegas

Leonardo Oliveira conta que conheceu o IBEF São Paulo por meio das postagens feitas por um amigo no LinkedIn. Ele retornou ao Brasil em 2018, após ter trabalhado cinco anos em uma multinacional nos Estados Unidos, e se filiou em outubro passado. “O IBEF-SP está sendo fundamental para restabelecer as conexões com executivos de finanças em São Paulo, assim como para estar mais antenado com as novas tendências do mercado e, não por menos, compartilhar um pouco sobre o que cada um entende sobre soft skills, que são muito relevantes nas organizações”.

Já Eduardo Sobral, analista sênior de Tesouraria da Melitta, filiou-se ao Instituto em janeiro, juntamente com outros dois profissionais de finanças da companhia. “Conhecemos o IBEF-SP por meio da nossa Diretoria Financeira, que identificou a necessidade de participarmos de um grupo para trocar informações financeiras, de negócios, com as demais empresas”, conta. “Este é o primeiro evento do Instituto em que participo e pude perceber que há inúmeras pessoas de finanças de várias companhias, com cargos importantes, que buscam fazer networking, obter informações, fazer benchmark etc.”.

José Renato Alloca conheceu o Instituto em função das várias recomendações feitas por um colega ibefiano. “Eu trabalho há um bom tempo com o Tércio Garcia, que é vice-presidente de finanças da Cengage Learning, e ele sempre recomendava a filiação ao IBEF-SP. Ele dizia que eu iria gostar, pois ampliaria meu networking e conhecimento na área financeira. Ele me convenceu e, em novembro de 2018, eu decidi entrar”, conta.

Gustavo Brazalotto, por sua vez, foi associado há alguns anos, interrompeu em 2018 devido à intensificação dos projetos no trabalho e decidiu retornar em janeiro deste ano. “Nos últimos três anos, pelo que eu acompanhei, o IBEF-SP cresceu muito. Vi que a qualidade dos eventos está sempre melhor, trazendo pessoas de mercado com experiências interessantes para agregar. Eu sofri no ano passado por ver que todos esses eventos estavam acontecendo e eu não pude participar. Ter percebido essa evolução do Instituto fez com que eu quisesse voltar assim que minha agenda estivesse disponível, o quanto antes. E uma das primeiras coisas que fiz neste ano foi a minha associação ao IBEF-SP porque eu sabia que valeria a pena todos os eventos e os mentorings, principalmente”, conta o fundador e diretor comercial da Parallaxis.

O retorno ao Instituto também aconteceu com Vera Rett. Ela foi associada há mais de uma década e decidiu retomar a filiação em fevereiro deste ano. “Agora nessa retomada, eu senti que tenho muito a ganhar novamente. Há pessoas que eu conheço que fazem parte desse grupo novo e hoje mesmo eu tive a oportunidade de reencontrar algumas delas. Esse networking é fundamental para qualquer profissional, principalmente na área de finanças, que é tão dinâmica, muda todo dia. Precisamos da parceria dos amigos e colegas para obter conselhos e compartilhar experiências”.

Quem também ingressou no IBEF-SP neste mês de fevereiro foi Pablo Lara, sócio da Galeazzi Associados. “Eu tenho vários amigos que são associados, CFOs de empresas que já foram clientes nossos na Galeazzi e sempre falaram bem do Instituto. Eu resolvi entrar neste ano para conhecer um pouco mais”, conta ele. “Em grande parte, minha expectativa é ampliar o networking com os CFOs. É um ambiente bastante interessante para trocar experiências e, quem sabe, fazer negócios também”.

 

Deixe um comentário