Operações financeiras de PagSeguro, Stone e Suzano são eleitas as melhores de 2019

As melhores operações financeiras de 2019 foram laureadas nesta terça-feira (28), durante a cerimônia do Prêmio Golden Tombstone IBEF-SP, realizada no Hotel Hilton Morumbi. A premiação tem o objetivo de reconhecer as empresas e agentes envolvidos nas melhores operações de captação de recursos do Brasil, nas categorias Debt, Equity e M&A. A terceira edição do Prêmio foi patrocinada por Deloitte e Rimini Street.

Esta edição contou com um recorde. Foram 63 operações inscritas, envolvendo o montante total de R$ 230 bilhões, sendo R$ 111 bilhões em operações de Debt, R$ 94 bilhões em M&A e R$ 25 bilhões em Equity, destacou Marcelo Pires, secretário geral do IBEF-SP, na abertura da cerimônia. ¨Nós temos certeza de que o Golden Tombstone é uma das maiores premiações do mundo para operações financeiras¨.

¨Agradecemos a todos que contribuíram para concretizar esse prêmio, em especial ao Carlos Alberto Bifulco, presidente da Comissão Julgadora, e a todos os CFOs que participaram da banca, empenhando-se para avaliar e fazer a melhor escolha dentre os 63 projetos participantes. E agradecemos a todos que colaboraram e inscreveram seus projetos para avaliação. Nesse momento em que todos gostaríamos que as coisas estivessem andando de forma mais rápida no País, é um sinal bastante positivo obtermos esse recorde, com o maior volume de participação no Prêmio¨, ressaltou Serafim Abreu, presidente da Diretoria Executiva do IBEF-SP e COO da IBM. Ele acrescentou que o Corpo Diretivo do Instituto tem o compromisso nesta gestão de trazer inovação de conteúdo, plataforma e comunicação, garantindo que seja mantida a essência do IBEF-SP em promover networking de qualidade e alto nível.

Quando o Prêmio Golden Tombstone foi lançado, há dois anos, a economia brasileira estava no meio de um furacão, acrescentou Luis Felipe Schiriak, presidente do Conselho de Administração do Instituto. ¨A decisão de lançar o Prêmio em um momento de alta recessão foi difícil, mas hoje estamos vendo os benefícios. Estamos no terceiro ano, ainda falta muito para o mercado nacional se recuperar, mas essas operações financeiras mostram que ainda estamos abertos. Não tenho dúvida de que em 2020, teremos uma tarefa ainda mais difícil para selecionar as operações deste Prêmio que está se consolidando com alto nível de participação¨.

Idealizador do Prêmio Golden Tombstone e presidente da Comissão Julgadora, Carlos Alberto Bifulco ressaltou que a premiação considera os critérios de criatividade, grau de complexidade e valor gerado. ¨É um Prêmio eminentemente técnico, com normas e padrões bem definidos. Para nós que queremos modernizar e expandir as atividades do IBEF-SP, é uma experiência especial ter a oportunidade de assistir a estratégias financeiras bem-sucedidas. Talvez possam existir prêmios similares fora do Brasil, mas dificilmente haverá um prêmio com maior densidade em habilidades de finanças como este, feito por brasileiros que conquistaram o mercado financeiro internacional¨, destacou Bifulco, agradecendo em seguida a todos os envolvidos e as mais de 150 entidades participantes do Prêmio.

Debt – A operação da Suzano foi a vencedora na categoria Debt. A empresa líder mundial em celulose realizou um empréstimo sindicalizado de US$ 9,2 bilhões com 12 bancos que suportou o deal de M&A entre Suzano e Fibria em 2018. Foi considerada à época o maior acquisition financing na América Latina em mais de uma década. O CFO da Suzano, vencedor do Prêmio Equilibrista IBEF-SP 2018, Marcelo Bacci, destacou o significado desse reconhecimento: ¨Foi um ano espetacular para nós. Gostaria de agradecer à equipe que está aqui representada e trabalhou duro para fazer isso acontecer. Foi uma operação de  US$ 9,2 bilhões, feita em curto tempo, algo extraordinário que nos possibilitou fazer essa transação transformadora com a Fibria¨, destacou Marcelo Bacci.

M&A –  A Suzano também foi laureada com o título de melhor operação financeira na categoria M&A. A operação de fusão entre Suzano e Fibria, concluída em janeiro de 2019, criou o maior player de celulose mundial, com 37 mil colaboradores, US$ 18 bilhões de valor de exportações (2017) e US$ 6,4 bilhões em investimentos. ¨Essa operação de M&A havia sido tentada outras vezes no passado, e neste ano fizemos a transação com mais caixa e menos ações, o que interessava aos nossos acionistas. E uma transação assim só poderia ser realizada se conseguíssimos levantar 30 bilhões em caixa, o que foi um desafio¨, acrescentou o CFO da companhia. ¨Estamos felizes por ganhar os dois prêmios, foram operações inovadoras e uma não viveria sem a outra. Foi o maior M&A do mundo do setor de papel e celulose. Obrigada ao IBEF-SP e à Comissão Julgadora¨.

Equity – As operações financeiras da PagSeguro e da Stone foram premiadas como as melhores do ano na categoria Equity. A oferta pública inicial de ações da PagSeguro Digital com listagem direta na Bolsa de Nova York (NYSE) levantou US$ 2,6 bilhões, em janeiro de 2018. Foi considerada na época o maior IPO de uma empresa de tecnologia da América Latina e a quarta maior oferta de uma companhia de tech do mundo. ¨Essa oferta no mercado americano nos deu a oportunidade de desenvolver mais produtos para o mercado brasileiro¨, afirmou André Cazotto, representante da PagSeguro.

Já a operação de IPO da Stone na bolsa norte-americana Nasdaq levantou US$ 1,4 bilhão, em outubro de 2018, destacando-se como o segundo maior IPO de uma fintech naquele ano. ¨Agradecemos aos nossos investidores, aos nossos clientes, que são a razão da nossa existência, e ao nosso time que se empenhou absurdamente para fazer essa operação sair no ano passado¨, ressaltou Marcelo Baldin, representante da companhia.

As demais empresas finalistas foram homenageadas com um tombstone pela importância das operações inscritas: Azul e Petrobras (categoria Debt) e Advent International e Embraer (categoria M&A).

Outra novidade deste ano, os certificados de destaque foram entregues para as operações realizadas pelas empresas Hospital Albert Einstein (inovação da operação), Petrobras (dimensão e relevância da operação),  Advent International (complexidade da operação), Eneva e Kroton. O banco Morgan Stanley e o escritório Pinheiro Neto Advogados foram também reconhecidos por terem submetido o maior número de operações inscritas.

As empresas vencedoras em cada categoria receberam, além do troféu criado pela artista Sara Rosemberg, o benefício de 1 ano de associação gratuita ao IBEF-SP (até três membros), convite aos CFOs para o jantar do Prêmio Equilibrista e associação gratuita de seus CFOs ao Instituto por seis meses. As demais empresas participantes foram presenteadas com seis meses de associação gratuita ao Instituto (até três membros).

Inovação e empresas exponenciais

O evento contou ainda com palestra de Luiz Roberto Calado, presidente da ABCripto e vice-presidente de Relações Institucionais do IBEF-SP. ¨As empresas que possuem um propósito massivo e transformador têm crescimento considerável, por isso são conhecidas como organizações exponenciais. O mercado de bitcoin, por exemplo, nasceu para transformar a forma como as pessoas lidam com dinheiro, captam recursos e fazem investimentos. Isso permitiu que uma empresa como a Mercado Bitcoin conseguisse em três anos alcançar a base de 1 milhão de clientes, marca que o Tesouro Direto só atingiu neste ano¨, ressaltou Calado, que foi diretor e presidente de exchange de criptomoedas, dentre elas a Mercado Bitcoin, em sua apresentação sobre mercado de capitais e a transformação digital. Em sua conclusão,  ele apresentou como a maior franquia de emagrecimento saudável da América Latina está realizando uma operação de mercado que pode superar R$ 1 bilhão, em linha com a transformação digital apresentada.

Patrocinadores

¨Gostaríamos de parabenizar os participantes do Prêmio. Acompanhamos as apresentações dos finalistas, foram operações super complexas, em um momento em que o mercado não está como gostaríamos, economicamente. Mas este é um sinal positivo de que algumas empresas acreditam que se não este ano, os próximos serão melhores¨, afirmou Ronaldo Fragoso, sócio da Deloitte, acrescentando que a organização é hoje a maior empresa de consultoria e auditoria do mundo e que as mudanças regulatórias trazem desafios para as empresas se adequarem ao novo momento do mercado.

¨É o nosso primeiro ano patrocinando o prêmio e outros eventos do IBEF-SP. Estamos muito honrados em fazer parte desse grupo de profissionais da área de finanças. Em mais da metade dos nossos clientes, o entusiasta para a contratação dos nossos serviços foi a área financeira¨, destacou Edenize Maron, responsável pela Rimini Street na América Latina, empresa de tecnologia focada em serviços de suporte para tecnologias SAP e Oracle, com o objetivo de proporcionar aos clientes ganhos na área de sourcing e eficiência operacional.

 

 

 

Leave a comment