Procuram-se: líderes inspiradores e que transformem os desafios de recursos em inovação

Por Alexandre Benedetti, partner & general manager da Talenses [People That Matter] em São Paulo

Em um ano ainda incerto em relação à economia, 2019 chega ao segundo trimestre com menos otimismo do que o inicialmente esperado e redefinições de expectativas. O momento pede uma reavaliação do mercado pelas empresas e adequação de metas e previsões. Entre as posições mais demandadas pelas corporações, o CFO e outros líderes de finanças destacam-se pela capacidade de direcionar a empresa para estratégias alinhadas ao momento econômico do País.

Diferentemente do ano passado, quando a maioria das instituições mantiveram projetos on hold aguardando momentos mais favoráveis para partir para ações de crescimento e investimento, este ano os projetos não podem mais esperar e a urgência de recuperar o tempo perdido, ainda que de maneira conservadora, parece ser um dos drives principais das empresas. Mesmo sem os incentivos do governo e sem a concretização de planos econômicos favoráveis, o momento pede uma movimentação e alguns projetos precisarão ser revistos para sair do papel.

A liderança financeira em 2019 tem o desafio de inspirar o time e motivá-lo a buscar soluções criativas com recursos escassos, levando as expectativas dos acionistas de forma filtrada com uma menor dose de pressão e mais espírito de equipe. Em pesquisa sobre liderança realizada pela Talenses, revelou-se que motivar a equipe em tempos de incerteza e aumentar a produtividade com orçamento reduzido são os principais desafios de um líder para este ano.

Quanto às características mais esperadas de um líder em 2019, é fundamental que ele tenha uma visão holística da situação em que a empresa se encontra e capacidade de antever os movimentos do mercado, lendo os sinais a sua volta e alinhando-os com as estratégias previstas. Como o líder quase sempre se encontra em uma posição solitária, onde ele tem que tomar as decisões baseado em suas percepções, outro ponto essencial é que ele tenha empatia pelos seus liderados e saiba escutar. Portanto, boa comunicação e trabalho em equipe foram apontados pela pesquisa como características fundamentais do líder.

Mais do que os pontos observados na pesquisa, um grande líder de finanças é aquele que inspira confiança e passa segurança aos diversos stakeholders da organização e, em especial, à sua equipe norteando as decisões e principalmente, formando outros bons líderes. Portanto, você já se perguntou quantos bons líderes você já formou?

As opiniões e conceitos emitidos no texto [acima] não refletem, necessariamente, o posicionamento do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF) a respeito do tema, sendo seu conteúdo de responsabilidade do autor.

Deixe um comentário