Evolução do mercado de crédito e impacto das novas tecnologias serão temas da Comissão de Tesouraria e Riscos em 2019

A Comissão Técnica de Tesouraria e Riscos do IBEF-SP já definiu sua agenda de assuntos para discussão ao longo do ano. Os tópicos permearão os encontros bimestrais e eventos do colegiado, sempre com convidados experientes na temática escolhida.

Foram os temas selecionados: evolução do mercado de credito brasileiro e perspectivas para 2019; impacto das novas tecnologias na Tesouraria; precificação de instrumentos de hedge; mercado externo: bonds perpétuos em BRL, empréstimos sindicalizados, entre outros; e estrutura ótima de capital, incluindo estruturas híbridas.

Completarão ainda o rol de conteúdos os KPIs da tesouraria e riscos e sistemas de gestão, e gestão de liquidez e caixa mínimo operacional.

Fontes de financiamento

Além da definição da grade de assuntos para 2019, a primeira reunião do ano do colegiado, realizada no dia 6 de fevereiro com sala cheia, também tratou da evolução das fontes de financiamento para as companhias, com o baixo patamar de taxa de juros atual e a redução do papel do BNDES.

A discussão entre os membros abrangeu as principais condições de financiamento por meio de bancos locais e estrangeiros (com funding subsidiado ou não), assim como agências multilaterais e agências de crédito exportadoras internacionais. O debate abarcou a comparação de taxas, escopo de cada agente financiador, parcela financiada do investimento, restrições à investimentos de itens importados, restrições gerais incluindo pacote de garantias, alocação do financiamento entre nível projeto e corporativo, entre outros aspectos cruciais para a tomada de decisão dos executivos financeiros.

“Tivemos a contribuição de todos os participantes com uma troca de experiências muito rica!”, destaca a líder da Comissão, Camila Abel Correia da Silva, diretora de Tesouraria e Riscos da AES Brasil. João Henrique, tesoureiro da COFCO, compartilhou o seu conhecimento sobre uma linha de financiamento através de recursos que são subsidiados pelo Banco do Brasil. Já Bruno Nespoli, tesoureiro da Monsanto, mencionou características das linhas de credito para exportação como NCE dentre outras.

Foi feita também a comparação das opções de financiamento bancário e os instrumentos para captação de recursos através do mercado de capitais. “Por reunirmos empresas de diferentes setores e exportadores, a Comissão tem o objetivo de continuar abrangendo a dinâmica do mercado em geral, com uma visão estratégica sobre os assuntos, obtida através dos conhecimentos compartilhados entre os presentes”, completa a líder.

As reuniões da Comissão de Tesouraria e Riscos acontecem bimestralmente, das 8 às 9h30 da manhã, na sede do IBEF-SP. Confira as datas dos próximos encontros: 08/05, 04/09 e 06/11.

Deixe um comentário