Entrevista com Luis Schiriak: “Trazer a mudança para dentro é o que mantém o IBEF vivo”

Eleito “Equilibrista” em 2006, o maior reconhecimento para CFOs no Brasil, Luis Felipe Schiriak assume novamente a presidência do Conselho de Administração do IBEF-SP, desta vez eleito para o mandato 2019-2021. Ele compartilha nesta entrevista sua história e a visão estratégica para o futuro do Instituto.

IBEF-SP: Como foi o seu primeiro contato com o IBEF São Paulo?

Luis Felipe Schiriak: Eu sou argentino. Quando mudei para São Paulo, transferido a trabalho, não conhecia ninguém na cidade. Um dia, vi na Gazeta Mercantil o anúncio de um evento técnico no IBEF São Paulo. Eu li a palavra “financeiro“, e como eu era financeiro, fui para o encontro na sede do Instituto, que ficava na Avenida Paulista. E, desde a primeira vez que eu entrei na entidade e falei com as pessoas, pensei: “isso aqui é para mim“. Isso aconteceu em 1995, 1996. Imediatamente, me identifiquei com o IBEF-SP. O acolhimento que recebemos foi espetacular: eu, minha esposa e família.

E, por todos esses anos em que estou no IBEF-SP, eu nunca mais fui embora (risos), o Instituto tem sido meu companheiro. Fiz um grupo enorme de amigos e amigas, que têm me acompanhado por todo esse tempo. Então, o Instituto tem a combinação da parte profissional – a gente troca experiências, aprende com os eventos e as palestras – com a parte da amizade.

Em sua visão, o que explica essa longevidade na participação dos associados?

A realidade do executivo financeiro é de uma profissão solitária. Nas equipes das empresas, há muita gente da área comercial, do operacional, e o financeiro está em uma posição mais isolada: ele tem que falar “não“, tem que controlar… No IBEF-SP, as pessoas se reúnem, se entendem, fazem companhia e trocam experiências. Inúmeras vezes, eu tirei dúvidas profissionais, também dei conselhos para colegas e profissionais mais novos, pessoas que estavam começando… Essa troca é tão valiosa que hoje temos a participação desde os fundadores do Instituto, dos anos 1970, até os membros do IBEF Jovem. E todo mundo que começa aqui se identifica e continua.

Então, fazer parte do IBEF-SP é que nem jogar tênis: vai te acompanhar por toda a vida. Haverá um momento em que você vai jogar e será ultra competitivo, quer estar na frente, e um momento que você irá mais devagar, e ajudará os outros com a sua experiência e os seus conselhos.

Quais são as suas expectativas para a gestão que se inicia?

Estou renovando o meu mandato como presidente do Conselho de Administração. Na realidade, no mandato anterior eu era o vice-presidente do Conselho, e o nosso caro colega Rodrigo Kede, eleito presidente, motivo de orgulho para o IBEF-SP, foi promovido e transferido para os Estados Unidos. Com muita honra, eu assumi essa posição para o restante do mandato. E agora tive a felicidade de ser eleito para um mandato completo. Esperamos, juntamente com a nova Diretoria Executiva, poder deixar a nossa marca e trabalhar pela perenidade do Instituto. Chegou a nossa vez de fazê-lo.

No final de 2018, o Corpo Diretivo fez um planejamento estratégico para os próximos anos. Você poderia comentar essa iniciativa?

Na realidade, esse foi o segundo exercício de planejamento estratégico que fizemos no Instituto, com o apoio sensacional da KPMG. Foi uma oportunidade para enxergarmos como o IBEF-SP irá se adaptar e transformar em sintonia com a vida do(a) executivo(a) de finanças. Estamos vivendo uma transformação digital muito violenta, que muda as empresas e requer que o financeiro assuma uma parte fundamental nessa transformação. No exercício anterior do planejamento, tínhamos escolhido como lema para o IBEF São Paulo “A Casa do CFO“. E, veja, em dois anos mudamos totalmente o nosso objetivo. Agora seremos a fonte de informação e a fonte de transformação do financeiro.

Então, isso demonstra como o IBEF-SP tem que estar em constante mudança. Muitas organizações somem ou hibernam ao longo do tempo, e o Instituto avança. Então, sem dúvida, isso demonstra como a entidade acompanha a função do financeiro, que também está se transformando. Se estivéssemos parados, com a nossa visão de 15, 20 anos atrás, já teríamos sumido ou virado um grupo de velhos. Hoje atendemos diferentes públicos. Sem dúvida, o IBEF Mulher e o IBEF Jovem tiveram um impacto fundamental nessa transformação. Trazer para dentro do Instituto a mudança na função do financeiro é o que mantém o IBEF vivo e totalmente antenado com a realidade.

O Conselho de Administração traça as diretrizes estratégicas para a Diretoria. Quais serão as prioridades para 2019?

Primeiro, um dos nossos grandes objetivos é a transformação digital do IBEF-SP. Participando dos eventos na sede do Instituto, às vezes eu ficava incomodado, por ver a qualidade técnica sensacional desses eventos e sentir a dificuldade para chegar no local, em função do horário e do trânsito. Assim como outras pessoas, já desisti no meio do caminho por constatar que não chegaria a tempo. Então, como vamos levar esses eventos e essa informação aonde o(a) CFO estiver? Temos a felicidade de contar com o novo presidente da Diretoria Executiva, Serafim Abreu, vice-presidente de Operações e Estratégia da IBM para a América Latina. Vamos aproveitar o conhecimento dele para fazer essa transformação. A transformação digital que o José Cláudio Securato está promovendo na Saint Paul também é uma fonte de inspiração.

Segundo, faz parte da natureza do financeiro tomar riscos. Riscos administrados, claro. Estamos promovendo uma mudança radical no Encontro Socioesportivo, evento que durante muito tempo foi sensacional, mas é um modelo que foi pensado há 30 anos e teve algumas pequenas alterações. Então, tomamos o risco de fazer uma mudança transformacional. Para isso, vamos dar muito apoio para a Diretoria Executiva, e pedimos a participação de todos os colegas ibefianos e ibefianas, porque o foco do evento deste ano será o(a) CFO.

No passado, partimos um pouco mais para o lado da família do executivo, e agora estamos ajustando o Socioesportivo. Continuaremos a ter a parte de esportes, de amizade, mas vamos trazer muito mais conteúdo. Então, queremos motivar todos(as) associados(as) a se inscreverem neste grande evento. Porque, de novo: é um risco que estamos tomando e queremos contar com a participação de todos(as)!

 

(Reportagem: Débora Soares)

 

1 Comment

Leave a comment