IBEF Conecta-Mulher: A CEO e a CFO da Gomes da Costa destacam a parceria para atingir a alta performance em uma indústria desafiadora

 “Tendências, desafios e oportunidades do negócio e carreira executiva, uma abordagem integrada CEO | CFO” foi o tema do evento híbrido realizado em 8 de dezembro, encerrando a programação de 2021 do IBEF Conecta-Mulher.

As convidadas Andrea Napolitano, CEO da Gomes da Costa, e Jamile Aun, CFO da companhia líder no segmento de pescados enlatados na América Latina,  compartilharam experiências e a dinâmica da relação CEO e CFO em uma indústria desafiadora, em que a variação de produtividade, margens e custos possui forte relação com a natureza, além do comportamento do consumidor.  

A moderação foi realizada por Christiane Aché, Conselheira do IBEF-SP e Diretora do Advanced Boardroom Progam for Women – ABP-W -, da Saint Paul Escola de Negócios, companhia mantenedora do Instituto e que sediou o evento presencial com transmissão ao vivo. 

Aprendizados e desafios comuns – Andrea Napolitano ressaltou a importância da iniciativa do Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças de São Paulo para o aprendizado e crescimento dos profissionais. “É um prazer poder compartilhar as minhas experiências. O belo de construir uma história e aprender é poder dividir e compartilhar porque estamos sempre sendo desafiados, e essa troca de experiências é enriquecedora para todos, pois as dificuldades e desafios são comuns”, disse a CEO da Gomes da Costa. 

Christiane Aché destacou as semelhanças entre as trajetórias de Andrea e Jamile Aun, ambas construídas em multinacionais. Antes de assumir a posição de CEO na Gomes da Costa, Andrea Napolitano atuou na área de bens de consumo durante toda sua carreira, tendo trabalhado em grandes empresas como Unilever, Johnson & Johnson, Nestlé, Whirlpool, PEPSICO, Pão de Açúcar e BRF. Por sua vez, Jamile Aun atuou em empresas como a Alstom e a General Electric.  

Desafios da indústria – Napolitano destacou que a indústria de pescados é permeada por incertezas e imprevisibilidade, desafio completamente diferente de suas experiências anteriores com bens de consumo. A produção se encontra à mercê da natureza, não sendo possível um planejamento, tampouco a especificação de compras da matéria-prima, o peixe. “O pescado possui uma cadeia de produção muito complexa e, estando na Gomes da Costa, a minha bandeira é trabalhar a sustentabilidade e a perpetuação da cadeia produtiva, no aumento do conhecimento da saudabilidade do pescado em conservas pelos consumidores, em especial o público mais jovem ”, afirmou a presidente, reforçando a importância do sentimento de propósito ao fazer as escolhas na carreira. 

Jamile Aun notou que já possuía a intenção de atuar em um segmento mais próximo do consumidor e a oportunidade de trabalhar com uma empresa que fabrica um produto saudável foi muito atrativa. Além disso, destacou o comprometimento da empresa com a diversidade de gênero. “Um ponto fascinante é olhar para a fábrica e ver que 70-80% da mão de obra é feminina. A força motriz da fábrica são mulheres entre 40 e 50 anos, chefes de família, muitas provenientes do Nordeste, fruto de um processo migratório para o Sul do país. Para nós que somos apaixonadas pelo Brasil, tudo que ajuda o país nos deixa mais animadas ainda”, explicou a CFO da Gomes da Costa. 

Divisão de tarefas entre CFO e CEO – Segundo Napolitano, o ideal é que a empresa consiga construir um time com perfis, competências e habilidades complementares, o que possibilita  a formação de equipes de alta performance. “Você precisa dar espaço para as pessoas desenvolverem seu próprio estilo e darem o seu melhor. Nas adversidades, você passa pelos desafios com mais tranquilidade”, pontuou a CEO da empresa. 

 A CFO Jamile Aun afirmou que uma das maiores inspirações que recebe da CEO é a vontade de realizar mais, ajustar os passos e seguir adiante, sempre pensando no futuro. “A Andrea tem esse lado de estar sempre tentando puxar a mim e ao time para frente”. 

Agenda das empresas – Questionada sobre os passos para realizar mudanças nas agendas de empresas tradicionais, Napolitano afirmou que o caminho pode não ser fácil, mas é possível. “Você deve procurar as brechas internas da organização e, muitas vezes, o apoio para a mudança não vem da tua área ou de pessoas próximas, mas surge em pessoas chaves em locais distintos e se multiplica para outras áreas da empresa, tornando possível uma transformação”. 

Sustentabilidade – Napolitano afirmou que o Grupo Calvo, controlador da Gomes da Costa, tem um forte comprometimento e compromisso global com questões relacionadas à sustentabilidade. “Possuímos regras muito claras sobre o tamanho de pescado, sobre o desenvolvimento e conscientização dos nossos fornecedores tanto nos aspectos de qualidade quanto de sustentabilidade. Além disso, todos os resíduos são reaproveitados sem eliminá-los no meio ambiente”.  

Desafios do cenário econômico – A CFO destacou como a volta da inflação ao patamar de dois dígitos reaflorou preocupações que os executivos tinham no passado, como o acompanhamento constante de termos e condições em contratos e preços. “O lidar novamente, retomar e trazer essa preocupação da inflação para os colaboradores mais jovens, que não tiveram essa experiência, tem se tornado prática do dia a dia”, observou Jamile. 

Andrea Napolitano acrescentou que atualmente, se verifica uma erosão no poder aquisitivo das classes de baixa renda, o que gera retração do consumo, forte pressão de custos com aumentos nos preços globais de matérias-primas, como o aço, e também de logística, com os fretes. Soma-se a isso a instabilidade no país e um ano eleitoral tumultuado em 2022. 

Apesar disso, a CEO observou que o Brasil tem um potencial de consumo gigante, com grande diversificação de públicos. ¨Temos que apostar e acreditar nesse mercado, pois no mundo existem poucos países no mundo como o Brasil para se investir, com mais de 200 milhões de consumidores. As empresas devem se valer da sabedoria para avaliar a melhor forma de administrar seus portfólios de produtos. Não podemos deixar de acreditar no nosso potencial como país. Apesar das crises, o Brasil é sólido do ponto de vista econômico, figurando entre as maiores economias do mundo”, concluiu a CEO da Gomes da Costa. 

O acesso ao vídeo da live é exclusivo para associado(as) do IBEF-SP.

Compartilhe:

Deixe um comentário