Marcelo Bacci, Luiz Carlos Trabuco e Deborah Vieitas são homenageados na cerimônia do Prêmio “O Equilibrista” 2018

O CFO da Suzano Papel e Celulose, Marcelo Bacci, recebeu o Prêmio “O Equilibrista”, reconhecimento máximo para CFOs no Brasil, nesta terça-feira (11), em cerimônia que reuniu os associados na Casa Charlô. Nesta noite especial, foram ainda homenageados como Destaques IBEF-SP 2018 o presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, e a presidente da Amcham Brasil, Deborah Stern Vieitas.

A 35a. edição da premiação contou com o patrocínio de: Bradesco Corporate, representado pelo executivo Bruno Boetger; Deloitte Brasil, representada pelo CEO Altair Rossato que apresentou os resultados da pesquisa “Agenda 2019”, que revela as expectativas das empresas para o próximo ano; e SAP Brasil. O evento teve ainda apoio de BMW Motorrad, Demarest Advogados, Estadão e Frattina. A PwC foi responsável pelo suporte na compilação da votação on-line do prêmio.

Juntamente com Bacci, foram finalistas do prêmio de CFO do Ano: Eduardo Alcaro (PagSeguro) e Mario Bertoncini (Nexa). Saiba mais sobre as realizações desses executivos nesta matéria.

O Prêmio “O Equilibrista” coroa um ano de muito trabalho para os CFOs, ressaltou Luis Felipe Schiriak, presidente do Conselho de Administração do IBEF-SP, na abertura do evento. “Em 2018, tivemos três finalistas absolutamente extraordinários. As transações que eles lideraram teriam sido excelentes em um ano normal, bom, com mercados abertos e funding disponível. Mas fazer essas três transações, um dos maiores M&As do mundo e dois IPOs extraordinários, em um ano de mercado fechado, especialmente para o Brasil, realmente só dá mais valor para esse reconhecimento”.

Marco Castro, presidente da Diretoria Executiva do Instituto, ressaltou que a escolha do CFO premiado é fruto de um processo democrático. Ele é iniciado com uma sondagem entre os associados do IBEF-SP e players relevantes do mercado, que fazem as indicações. A partir daí, é feita uma compilação dos nomes com maior número de indicações, resultando na lista com os três finalistas; a partir daí, há uma votação entre os ibefianos, que elegem o premiado.

“Marcelo Bacci, Eduardo Alcaro e Mario Bertoncini são exemplos de que todo jovem executivo de finanças deve mirar e se espelhar. São pessoas que têm carreiras brilhantes, com uma trajetória construída de forma muito sólida, representam suas companhias de forma maravilhosa, fazem essas operações que o Schiriak mencionou. É essa noite que estamos celebrando”, completou Castro.

Reconhecimento

¨É uma realização muito grande ser reconhecido como referência na profissão que escolhi. Estou muito feliz¨, destacou Bacci. Finalista nas duas edições anteriores do prêmio, ele conta que recebeu a ligação de Marco Castro, presidente do IBEF-SP, com a notícia de que havia sido eleito como o Equilibrista de 2018 quando estava em um off-site com a futura diretoria da Suzano+Fibria.

A fusão das duas gigantes do setor de papel e celulose, aprovada neste ano, cria a maior empresa produtora de celulose do mundo, avaliada em cerca de R$ 100 bilhões (considerado o valor de mercado combinado das duas companhias). A operação deverá ser concluída em janeiro de 2019.

Agradecimentos e aprendizados – Após erguer o desejado troféu de bronze, criado pelo artista Osni Branco, Bacci observou um fato curioso: a Suzano tornou-se a primeira tricampeã no Prêmio Equilibrista. A empresa já havia recebido a láurea por meio dos executivos Adhemar Magon (1986) e Bernardo Szpigel (2003). “Agora vou pedir para que a gente fique com a posse definitiva do troféu e peça música no Fantástico”, disse Bacci, bem-humorado, arrancando risos da plateia.

O mais novo Equilibrista aproveitou a ocasião para fazer um agradecimento especial para sua família, que definiu como a razão para tudo o que se propõe a fazer. E acrescentou que essa premiação também pertence aos mais de 8 mil colaboradores da Suzano. “Eu tenho muita consciência de que a competência e o brilhantismo de cada um de nós só podem produzir resultados concretos quando aliados a uma empresa consistente, ética, arrojada e que tem um time de primeira como temos na Suzano”.

Bacci compartilhou ainda cinco aprendizados que utiliza na vida pessoal e no trabalho, ensinados por líderes ao longo de seus 30 anos de atividade profissional. Confira a seguir:
1- Foco no resultado;
2- Senso de dono, independente da cadeira ocupada na organização;
3- Importância da comunicação com as equipes e os colegas, da maneira mais aberta possível;
4- Poder de se impor metas ambiciosas e se mobilizar em torno delas;
5- Capacidade de não basear suas decisões em apenas uma opinião ou visão, mas ser curioso e ouvir diversos lados.

O executivo aproveitou a oportunidade também para destacar a responsabilidade dos executivos como cidadãos brasileiros. “Grande parte dos problemas que o Brasil sofre se origina da nossa falha, da chamada elite intelectual e financeira, em nos apropriarmos das questões nacionais. Nunca protagonizamos, em nível de comunidade e país, com a mesma competência que fazemos em nossos negócios. Sempre nos orgulhamos em dizer que política não era para nós e aceitamos, como consequência, ser governados por quem gosta de política, mas que via de regra tem valores que em nada coincidem com a nossa ética pessoal e empresarial. Essa responsabilidade é nossa”, destacou Bacci, mencionando em seguida a renovação política que o País vive, com muitos caras novas no Congresso vindas do setor produtivo, e fazendo especial homenagem ao empenho de sua esposa em fazer trabalho voluntário no âmbito político, para ajudar a construir um Brasil melhor.

Perspectivas 2019: esperança no novo

Questionado por jornalistas que cobriam o evento sobre a sua expectativa para o próximo ano, Marcelo Bacci expôs sua visão pessoal. Ele disse estar esperançoso, pois o próximo governo contará com um time econômico qualificado. “A grande questão estará na capacidade do novo governo conseguir aprovar junto ao Congresso as medidas necessárias para assegurar o crescimento econômico, a contenção de gastos e a organização do setor público”.

A expectativa de um futuro melhor também foi destacada nas palavras de Deborah Vieitas (Amcham Brasil) e Luiz Carlos Trabuco Cappi (Bradesco), homenageados com o prêmio Destaques IBEF-SP, destinado a lideranças setoriais que tiveram, ao longo de suas carreiras, impacto na vida dos CFOs.

“Desejo que 2019 seja um ano de protagonismo para os profissionais de finanças e que eles sejam decisivos na construção de um Brasil melhor, mais justo e mais inclusivo. Quanto à inclusão, eu deixo aqui também o meu incentivo às mulheres que escolheram atuar na área de finanças, com a convicção de que elas fizeram a escolha certa e de que contribuíram muito para a evolução do papel do profissional de finanças”, ressaltou a CEO da Amcham Brasil, a primeira mulher a ocupar esse cargo em 100 anos de existência da organização.

O presidente do Conselho de Administração do Bradesco também expôs sua visão para 2019. “A partir do ano que vem, estaremos diante de um novo cenário de mudança. E, desta vez, o cenário de mudança traz expectativas positivas renovadas. O IBEF tem conseguido, durante décadas, congregar, associar e desenvolver profissionais financeiros, que são fundamentais para as empresas brasileiras”, disse Trabuco, após relembrar que sua relação com o Instituto remonta a 1983, quando o banco patrocinou pela primeira vez um evento do IBEF. “Finalizando, eu gostaria de desejar que o próximo Natal, que sempre é um momento de reflexão, possa cristalizar, mais do que otimismo com o Brasil: a esperança na confiança do novo.”

Na análise do economista José Cláudio Securato, vice-presidente do Conselho de Administração do IBEF-SP e CEO da Saint Paul Escola de Negócios, a perspectiva para 2019 é de otimismo moderado. “Se o Brasil endereçar as reformas (previdenciária e fiscal) ao longo de 2019, terá chances de entrar em 2020 com um crescimento estável e bastante favorável”, afirmou aos jornalistas que cobriam o evento.

Mensagem aos associados: IBEF-SP se renova

Ainda durante o evento, em pronunciamento aos associados, o presidente da Diretoria Executiva do IBEF-SP, Marco Castro, ressaltou que novidades estão por vir: “O IBEF-SP está encerrando mais um ano. Ainda temos alguns eventos acontecendo no mês de dezembro: nossas Comissões Técnicas, reuniões da Diretoria, do Corpo Diretivo. Mas já conseguimos aquilatar que foi um período de grande realizações. Especialmente em um ano com grandes dificuldades que enfrentamos, o País como um todo, toda essa turbulência pela qual passamos. Recentemente, fizemos uma reflexão estratégica sobre o que esperamos de um novo IBEF-SP, como imaginamos o Instituto nos próximos anos – periodicamente fazemos isso com o apoio dos nossos mantenedores, patrocinadores – e começamos a desenhar um novo IBEF-SP”.

Castro deu dicas do que os ibefianos poderão aguardar: “Um Instituto que se atualiza em relação ao que temos, que vai desde a nossa recém-lançada certificação para CFOs até uma necessidade que sentimos de o IBEF-SP se posicionar em temas que são relevantes tanto para o executivo de finanças como a sociedade em que atuamos e as empresas que nela se inserem. Vocês ouvirão falar mais disso em breve, começamos a lançar essa nova movimentação. Vamos utilizar canais diferentes, tecnologias diferentes… Preparamos o IBEF-SP para um modelo diferente”.

 

Confira

Leave a comment