Prêmio Golden Tombstone 2020: TAG vence categorias Debt e M&A; Afya é a vencedora da categoria Equity

A cerimônia de premiação do Prêmio Golden Tombstone 2020 do IBEF SP, com patrocínio da Deloitte, ocorreu em live transmitida no dia 25 de novembro anunciando, assim, as operações vencedoras desta edição nas categorias Debt, Equity e M&A. Foram 47 operações financeiras inscritas no Prêmio este ano, somando, no total R$ 194 bilhões. Por categoria, as operações de Debt inscritas somaram R$ 71 bilhões; as de M&A, R$ 94 bilhões, e as de Equity, R$ 29 bilhões. Uma banca composta por 14 membros, entre diretores e conselheiros do IBEF SP, avaliaram cada transação.

Concorreram ao Prêmio Golden Tombstone 2020 na categoria Debt as transações de Debênture Verde da Neoenergia, o Bond Exchange da Petrobrás, e o LBO da TAG; na categoria Equity, o IPO da Afya, o IPO da Neoenergia, e o Follow-on da BR Distribuidora; e na categoria de M&A, a fusão da Aliansce & Sonae, a venda dos ativos internacionais da BRF, e a venda de 90% da TAG pela Petrobras. 

Debt – A operação vencedora na categoria Debt foi a acquisition finance da TAG, que emitiu R$ 14 bilhões em debêntures e US$ 2,45 bilhões em um syndicated loan facility, parte de uma operação de LBO que contou com grande complexidade estrutural. A emissão foi parte do financiamento para a aquisição de 90% do capital da TAG por consórcio formado pela ENGIE e CDPQ, em processo competitivo de venda realizado pela Petrobrás

“O financiamento foi muito importante para os dois acionistas. A ENGIE teve oportunidade de diversificar o portfólio, e para a CDPQ também foi um grande investimento na área de infraestrutura do Brasil”, explicou Joaquim Saboia, diretor financeiro da TAG. “Então, gostaria de agradecer ao IBEF SP pelo prêmio, à comissão julgadora e, em nome da diretoria da TAG e dos acionistas, ficamos muito felizes”, complementou.

Equity – Na categoria Equity, a operação vencedora foi o IPO da Afya na NASDAQ. O grupo de educação voltado a cursos de medicina apresentou a abertura de capital da companhia na bolsa americana NASDAQ com uma oferta no valor de US$ 261 milhões. A maioria da oferta foi primária (88%), e a Afya se tornou a terceira empresa brasileira a se listar na NASDAQ. Renata Couto, responsável pela área de relações com investidores da Afya, recebeu o Prêmio e agradeceu, principalmente, toda a equipe que participou da operação. “Foi uma equipe de poucos funcionários que fizeram muito acontecer”, disse.

M&A – A TAG foi vencedora também na categoria M&A, com a operação de venda de 90% da companhia pela Petrobrás para a ENGIE e a investidora institucional global CDPQ por R$ 33 bilhões, sendo a maior transação de 2019 no Brasil e muito importante para a reestruturação da Petrobras. “Imaginamos um futuro brilhante para a TAG. Gostaria de dar os parabéns a todos os participantes e agradecer mais uma vez ao IBEF SP, à comissão julgadora e aos patrocinadores”, disse Joaquim Saboia em seus agradecimentos pelo Prêmio. Também estiveram presentes para deixar uma mensagem Marc Claassen, gerente financeiro da TAG; Raphael Barreau, Chief Business Development Officer da ENGIE; e Sebastien Duffé, VP de M&A e business development da ENGIE.

Menção honrosa e Destaques do Ano – Os demais finalistas das três categorias tiveram uma menção honrosa por suas operações estratégicas e criativas submetidas ao Prêmio. Além disso, a partir deste ano, o Prêmio Golden Tombstone passou a premiar também os advisors que fizeram mais inscrições em cada categoria do Prêmio. O Destaque do Ano na categoria Assessoria Financeira, com quatro operações inscritas, foi o Itaú BBA. Já na Assessoria Jurídica, também com quatro operações, o Destaque do Ano foi para o Tozzini Freire Advogados.

Reconhecimento – O reconhecimento do ecossistema a partir do Prêmio Golden Tombstone foi destacado na cerimônia por Luis Schiriak, presidente do conselho de administração do IBEF SP. “São transações tanto na área de M&A, de dívida e de IPO extremamente complexas, impossíveis de serem feitas por uma equipe sozinha. Temos equipes multidisciplinares, departamento financeiro e jurídico, com a empresa como um todo envolvida nessas operações”, disse, ressaltando que essas transações geram uma demanda física e intelectual muito grande. 

Schiriak reiterou que o Prêmio, reconhecido no mercado, contempla empresas de primeiras linha, de diferentes portes, e o objetivo principal é divulgar essas transações para que sirvam de exemplo para outras empresas demonstrarem quais são os caminhos e alternativas para fazer um funding, crescer e cumprir com sua missão social, além de gerar valor aos seus acionistas. “Todos os trabalhos foram analisados por uma comissão técnica com a sua maioria composta por CFOs. Eu participei em todas as comissões até hoje, e este ano posso dizer que tanto nas apresentações, na discussão com as empresas e também na troca de opiniões e observações com os membros da banca, eu aprendi bastante”.

Trabalhos de alta complexidade – Ronaldo Xavier, sócio-líder de financial advisory da Deloitte, patrocinadora do Prêmio, destacou os trabalhos de alta complexidade inscritos nesta edição, que desafiaram os profissionais do mercado na economia dinâmica. “Esse evento busca, em sua essência, incentivar, provocar o mercado, dar visibilidade a essas operações de captação de recursos e disseminar experiências de sucesso das transações de empresas e profissionais que usaram sua criatividade para fazer diferente e para impactar o mercado”, disse. 

José Roberto Securato Junior, conselheiro da Saint Paul e responsável técnico pela edição 2020 do Prêmio, destacou a importância do Golden Tombstone para trazer esse tipo de operação complexa para mais próximo das pessoas que não sabem como funciona exatamente uma transação de dívida, de fusões e aquisições e de equity. Securato ressaltou que o maior legado do Prêmio são as apresentações dos finalistas, nas quais todo o mercado financeiro tem a oportunidade de conhecer as pessoas que estavam na ponta das operações falando sobre os desafios e as conquistas. 

Carlos Alberto Bifulco, idealizador e criador do Prêmio Golden Tombstone, enfatizou o legado do prêmio para o IBEF SP e para o mercado, destacando o reconhecimento

dos trabalhos de executivos financeiros, profissionais de instituições financeiras, advogados, auditores e tantos outros profissionais que colaboraram para o sucesso das operações financeiras. “A divulgação dos detalhes das operações financeiras possibilita trazer técnicas atuais de captação de recursos para todos os players do mercado. Essa divulgação de conhecimentos é uma contribuição do IBEF SP para a sociedade”, destacou.

Compartilhe:

Deixe um comentário